Chamamento: GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança

 
REGULAMENTO
 
1. Descrição:
 
GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança é uma das ações (per)formativas do projeto Mãos que bordam o tempo, pés que acordam o chão – circulação dos espetáculos A-VÓS e Corredeira concebido pela Nave Gris Cia Cênica e contemplado pela 27º Edição do Programa de Fomento à Dança para a cidade de São Paulo.
 
A GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança tem como tema as relações entre Dança, Audiovisual e Cultura tradicional-popular brasileira e será voltada para artistas que constituem suas materialidades poéticas em diálogo com as culturas tradicionais-populares do Brasil e suas inter-relações com as artes contemporâneas, explorando as possibilidades entre corpo e audiovisual, através da linguagem da videodança. 
 
A Nave Gris tem se dedicado, desde 2015, a mapear e criar redes entre artistas que trabalham a partir das culturas afro-brasileiras e ameríndias, através de ações em nível municipal como os I e II Encontros Mulheres Negras na Dança e a Visível+Nave - Encruzilhada Ocupação Cênica. Com esta mostra de videodança pretendemos ampliar o alcance dessa rede de artistas e possibilitar um espaço de compartilhamento, reflexão e encontro. 
 
As inscrições são gratuitas e ocorrerão no  período de 01 de junho a 31 de julho de 2020 por meio do formulário de inscrição online disponível no site http://navegris.com.br/. 
 
De caráter não competitivo, a mostra visa proporcionar um espaço de circulação artística sem fins lucrativos, não havendo premiação de qualquer espécie.
 
As obras inscritas serão curadas pelos diretores artísticos da Nave Gris Cia Cênica, Kanzelumuka e Murilo De Paula, e pela artista da videodança Vanessa Hassegawa. As videodanças selecionadas serão exibidas gratuitamente em outubro de 2020 (data a definir), em espaço cultural aberto ao público, na cidade de São Paulo*.
 
Na paralela, a atividade também contará com palestra e bate-papo abordando as relações cinema-dança-videodança e a cultura tradicional-popular brasileira com o objetivo de ampliar e tensionar a discussão sobre a temática da mostra.
 
*Caso o cenário de pandemia ainda persista, a exibição será online através do canal de vídeos da Nave Gris e as atividades paralelas  via videoconferência.  
  
 2. Período e local:
 
GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança acontecerá em outubro de 2020, em data e espaço cultural ainda a serem definidos devido ao contexto atual que vivemos de isolamento social.
 
3. Para se inscrever:
 
3.A – Serão aceitas videodanças executadas por artistas que dialogam com as culturas tradicionais-populares do Brasil e suas inter-relações com as artes contemporâneas, explorando as possibilidades entre corpo e audiovisual. 
3.B - Podem ser inscritas videodanças finalizadas com produção feitas a partir de 2015. 
3.C – Serão aceitos vídeos finalizados de 01 até 10 minutos, que poderão estar hospedados em qualquer site ou compartilhamento de vídeos como Vimeo, YouTube, Dropbox, OneDrive ou SendSpace com resolução mínima de 640X480, em qualquer extensão.
3.D - Vídeos fora dos critérios acima não serão aceitos.
3.E– Limite de até 02 vídeos por artista e/ou grupo.
3.F– Inscrição online poderá ser feita via formulário através do site: https://forms.gle/g7FGXUBxwMP7eCkc6  
3.G – Até 20 videodanças serão selecionadas para esta edição.
3.H - As inscrições são gratuitas.
3.I – Inscrições abertas de 01 de junho a 31 de julho de 2020, às 23h59. 
3.J – O resultado será divulgado no site da Nave Gris Cia Cênica no dia 31 de agosto de 2020. 
 
4. Vídeos Aprovados:
 
4.A – Enviar o material  aprovado em alta resolução para download.
4.B – Enviar duas fotografias de até 1MB JPG (300dpi).
4.C - Não há cachê de participação.
4.D - A produção da mostra não se responsabilizará por ajuda de custo e vinda dos(as) artistas das obras selecionadas que queiram participar da exibição e atividade paralela.  
 
5. Sobre a seleção de vídeos:
 
A curadoria da GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança é composta pela direção artística da Nave Gris Cia Cênica, Kanzelumuka e Murilo De Paula, e pela artista da videodança Vanessa Hassegawa. 
 
A seleção dos trabalhos será baseada na qualidade das propostas cênicas dos(as) artistas, na relação com o conceito da mostra e na possibilidade de adequação do trabalho ao espaço da mostra.
 
6. Considerações finais:
 
6.A – O material aprovado será exibido e divulgado (foto, sinopses e vídeo) durante a GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança nos meios de imprensa, publicidade e redes sociais relativas ao evento e sempre com os devidos créditos aos artistas. 
6.B – Todo material aprovado e não aprovado fará parte do acervo da GIRA - Mostra Nave Gris de Videodança.
6.C - O material do acervo não será utilizado pela Nave Gris Cia Cênica em eventuais ações futuras sem prévia autorização dos(as) autores(as) dos vídeos.
6.D – A organização se isenta de qualquer responsabilidade quanto a obra aprovada relativa aos direitos autorais, imagem, voz e nome envolvidos na obra inscrita, cabendo exclusivamente ao(a) autor(a) obter o devido consentimento dos respectivos envolvidos para utilizar, veicular e disponibilizar a obra audiovisual, na abrangência prevista por esta mostra.
6.E – Quaisquer sugestões ou esclarecimentos contatar a organização do evento:  giranavegris.videodanca@gmail.com .
 
Obrigada, obrigado e boa sorte!
 
Equipe Nave Gris Cia Cênica
 
Esta mostra faz parte do projeto Mãos que bordam o tempo, pés que acordam o chão – circulação dos espetáculos A-VÓS e Corredeira da Nave Gris Cia Cênica contemplado pela 27ª Edição do Programa Municipal de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo.

 

 
 
Sobre a Nave Gris - A Nave Gris Cia Cênica, dirigida por Kanzelumuka e Murilo De Paula, nasceu em 2012 na cidade de São Paulo do encontro entre artistas de linguagens distintas e dedica-se, desde então, à pesquisa e desenvolvimento da cena como campo de pluralidade, espaço expandido e limiar entre dança, teatro e performance. Em sua prática criativa é fundamental o trabalho em parceria com artistas convidados, criando territórios de fricções onde cada um dos criadores se encontra no fazer a partir de suas diferenças e afinidades estéticas e técnicas, construindo trabalhos onde divergências e convergências tornam-se presentes como procedimentos de criação e matéria poética. As culturas afro-brasileiras e ameríndias estão presentes no trabalho da companhia como motores na pesquisa e produção de estéticas contemporâneas que afirmam a multiplicidade de vozes, corpos e pensamentos que nos constituem como latino-americanos. Além de sua própria produção artística a Nave Gris desenvolve um constante trabalho de constituição de redes, produzindo ações que reúnem artistas cujos trabalhos dialoguem com este contexto cultural.
 
Sobre Vanessa Hassegawa - Artista da dança, pesquisadora de dança da Amazônia paraense, curadora, artista do campo da videodança/ dança para tela e trabalha também com comunicação corporativa. Vanessa é especialista em Artes Cênicas pela FPA e Jornalista de formação pela Universidade da Amazônia. Na adolescência, estudou na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil - ETBB, sócia do Coletivo Las Caboclas de videodanças e desde 2008 investiga a relação entre as danças do estado do Pará e a videodança de maneira independente. 
É uma das idealizadoras da mostra Prosa, Vídeo e Dança, ao lado dos artistas da dança Pedro Costa e Renata Daibes, do qual acumula o acervo de cerca de 100 videodanças provenientes de vários países do mundo. As videodanças Mormaço, Brisa, Jurema e Encantada já circularam por festivais de dança e vídeo nas cinco regiões do Brasil e foram exibidas em mostras de países como Nova Zelândia, Espanha, Portugal, México, Argentina, Chile e Bolívia. Em 2017 realizou o projeto independente Wairua, na Nova Zelândia, composto por quatro videodanças para redes sociais. Atualmente está finalizando a videodança Quando a Boiúna Sonha, roteirizando seu novo trabalho Matinta, sobre as feiticeiras das matas amazônicas e é artista-residente desde 2019, do Centro de Referência da Dança da cidade de São Paulo, ao lado da artista Stéphanie Fretin. 

 
Imprima o regulamento.